12 de junho de 2024 14:33

freitasnews16

Abate de bovinos avança 24,6% no 1º tri no Brasil e para novo recorde, diz IBGE

O abate de bovinos no Brasil avançou 24,6% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, marcando um novo recorde trimestral da série histórica iniciada em 1997, enquanto os volumes da exportação seguem firmes e a pecuária vive um ciclo de maior oferta, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).O Brasil registrou nos primeiros três meses do ano abates de 9,30 milhões de cabeças bovinas, de acordo com dados que consideram algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Na comparação com o quatro trimestre de 2023, o crescimento foi de 1,6%.Siga a Forbes no WhatsApp e receba as principais notícias sobre negócios, carreira, tecnologia e estilo de vida. Com os preços da arroba bovina encerrando o primeiro trimestre cerca de 20% abaixo do mesmo período do ano passado, produtores elevaram o abate de fêmeas, que aumentou 28,2% em relação ao primeiro trimestre de 2023, apresentando o resultado mais elevado de toda a série histórica para a categoria. “Estamos num período de ampla oferta de animais para o abate, esses animais são provenientes de um ciclo de maior retenção de fêmeas observado entre 2019 e 2022, quando o preço dos bezerros estava em alta e a atividade reprodutiva das fêmeas tornou-se atrativa para os pecuaristas”, destacou o supervisor da pesquisa, Bernardo Viscardi, em nota. “A partir de meados de 2022”, acrescentou ele, “observamos o ciclo inverso, o preço dos bezerros caiu e as fêmeas passaram a ser destinadas ao abate com maior intensidade, além dos animais criados no ciclo anterior de alta que chegaram à idade de abate neste ano.”

terra

Compartilhe: