27 de fevereiro de 2024 06:21

freitasnews16

A falta de amor

O adversário, ao longo da His­tória, tem atacado a Igreja do Senhor em várias frentes. Ele tem semeado dissensões entre os santos, gerando o esfriamento do amor, trazendo indiferença e apatia. No entanto quando o amor divino passa a operar em nossas vidas, demonstramos por atos e palavras que conhecemos a Deus e que somos discípulos de Cristo ( I Jo 4.8 ). O amor tudo su­porta, crê e espera ( I Co 13 ). Uma igreja onde os crentes demonstram o amor divino, os intentos do Diabo serão sempre frustrados.

O MAIOR DOS MANDAMENTOS

Amar a Deus de todo coração. “Mestre, qual é o grande mandamento da lei?” (Mt 22.36). Respondendo a um fariseu, Jesus disse: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração…” (Mt  22.37a). Amar a Deus de todo o coração é um grande desafio para o ser humano, porquanto este foi gerado em pecado (SI 51.5). Jesus não aceita que o amemos parcialmente; Ele requer que o amemos de todo o nosso coração: “Quem não é comi­go é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha” (Mt 12.30).

O amor a Deus deve ser prioritário no coração de quem procura servi-Lo (Mt 10.37).

Amar a Deus de toda a alma e pensamento. A alma é a sede dos pensamentos, das emo­ções. Na resposta ao fariseu, Jesus enfatizou que o primeiro e grande mandamento é amar a Deus incondicionalmente. Se alguém ama o mundo é porque não tem o amor de Deus ( I Jo 2.15-17 ). Assim, amar a Deus de toda alma e de todo o coração, é um desafio para todos os que querem viver de modo digno e santo ( I Pe 1.1 5), não só obedecendo aos mandamentos de Deus, mas também agradando-o em tudo ( I Jo 3.22; GI 1.10 ).

O SEGUNDO GRANDE MANDAMENTO

Amar o próximo como a si mesmo. Jesus complementou a resposta ao fariseu, afirmando que o segundo mandamento, semelhante­ ao primeiro, e amar ao próximo como a si mesmo (Mt 22.39). O individualismo e o egoísmo têm dificultado, e até impedido, gestos de amor ao próximo, até mesmo entre cristãos. Quem é o nosso próximo? É aquele a quem podemos ajudar como fez o samaritano que cuidou do viajante semimorto à beira do caminho ( Lc 10.30-37 ).

a) O próximo é nosso familiar. Às vezes, parece mais cômodo fazer o bem a quem está longe do que aos que se encontram sob o nosso teto. Mas a Bíblia manda que amemos e cuidemos de nossos entes queridos. O cuidado com a família é prioritário ( I Tm 5.8 ). É preciso amar os filhos e que estes amem aos seus pais. Jesus quer salvar toda a família (At 16.31). O esposo deve amar a esposa (Ef 5.25); a esposa deve amar o marido (Tt 2.4).

b) O próximo é nosso irmão em Cristo. Na igreja local, temos uma oportunidade grande de exercitar o amor mútuo (Jo 13.34). “Amar” de forma fingida e parcial não é amar como Cristo nos ama. É preciso amar de todo o coração (I Pe 1.22), pois o amor é a principal característica do cristão. É a maior prova de que somos discípulos de Jesus.

c) O próximo é nosso vizinho. Há cristãos que estão dispostos a serem missionários na Europa, na China e no Japão. Mas nunca se es­forçaram para evangelizar os vizi­nhos. Eles estão ali, bem próximos. Se não ouvirem falar do amor de Deus, irão para o inferno. A Palavra de Deus exorta: “Livra os que estão destinados à morte e salva os que são levados para a matança, se os puderes retirar” (Pv 24.11). Leia também Ez 3.16-19; I Co 9.22.

d) O próximo é o colega da esco­la ou professor. Muitos acham difícil falar do Evangelho de Cristo aos colegas de escola. No entanto, cada estudante cristão deve ser uma tes­temunha viva de Cristo. Ele tem por obrigação ser luz do mundo e sal da terra, pois somente assim consegui­rá neutralizar o sistema educacional materialista no qual está inserido. Enfim, ele precisa do poder do alto para demonstrar o amor de Deus aos colegas (Mc 16.15; At 1.8).

e) O próximo é o colega de tra­balho. Hoje, graças a Deus, há cris­tãos trabalhando em todos os seto­res da economia, onde podem, de maneira prudente e sábia, sem atra­palhar o seu desempenho profissi­onal, testemunhar de Cristo aos co­legas. A maioria destes jamais adentraria, por si mesmos, pelas portas de uma igreja evangélica. Por isto, carecem de nossa ajuda. Se em nosso coração o amor de Deus for abundante, levaremos muitos deles a aceitar a Cristo como seu salvador e senhor.

f) O próximo é o carente ou ex­cluído social. No mundo, há muitos pobres e miseráveis. Eles estão por aí, nas periferias das cidades e metrópoles. Para os excluídos, não adianta pregar apenas com palavras. É necessário demonstrar-lhes amor através de palavras e obras, prestando-lhes o socorro imediato e, mais adiante, levando-os a se inserirem no meio social como mem­bros produtivos deste. Tiago diz que a fé sem obras é morta (Tg 2.14-17). Não estamos falando de um evangelho meramente social, mas do evangelho que transforma e reabilita o ser humano por completo. Este é um dos maiores desafios do amor.

Amar as almas perdidas. Será que amamos realmente as almas perdidas assim como Deus nos amou (Rm 5.8)? O amor só tem sentido quando demonstrado por ações, ges­tos e atitudes (I Jo 3.18). Evange­lizemos, pois, enquanto é dia. Apoie­mos a evangelização nacional e as missões transculturais. Se não pudermos ir ao campo missionário, temos por obrigação orar, contribuir e apoi­ar os que falam de Cristo aos que vão suspirando sem ter esperança de ver a Deus. Isto é amor.

Os campos estão brancos para a ceifa.

A MARCA DO CRISTÃO

O amor fraternal é, pois, o dis­tintivo fundamental no relaciona­mento do crente com Jesus. Cristãos que odeiam? In­felizmente, há cristãos que aborre­cem e odeiam uns aos outros. Tal comportamento é inaceitável aos olhos de Deus. A “síndrome de Caim”, que é o ódio homicida contra o ir­mão, tem dominado o coração de muitos que se dizem nascidos de novo. Jesus previu isso: “Nesse tem­po, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão” (Mt 24.10). Quem aborrece seu irmão é homicida! É uma terrível e assus­tadora advertência de João, o apóstolo do amor: “Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna” (IJo 3.15). Quem se diz crente, mas se deixa dominar pelo ódio ou amar­gura contra o seu irmão, não é filho de Deus, pois Deus é amor. O distintivo do verdadeiro cristão. Foi Jesus quem definiu a marca do verdadeiro cristão: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (Jo 13.34,35 – grifo nosso).

A iniquidade destes últimos tem­pos caracteriza-se pelo esfriamento do amor entre os que se dizem cris­tãos, ocasionando-Ihes muitos prejuízos espirituais. Além disso, quem aborrece o seu irmão está em trevas ( I Jo 2.9 ); é mentiroso ( I Jo 4.20 ); homicida, e jamais chegará ao céu ( I Jo 3.15 ). O amor cristão precisa ser demonstrado, no dia-a-dia, para que possamos levar, muitas almas ao Se­nhor Jesus. Sem amor, não se evan­geliza, não se faz discípulos e não se realiza a obra missionária. Portanto, lembre-se:

          O amor entre irmãos é o distintivo de uma vida transformada pelo poder de Deus.

Chuvas causam prejuízos de R$ 100 milhões aos produtores de frutas do São Francisco

Os produtores de uva e manga do Vale do São Francisco iformam que já contabilizam prejuízos que ultrapassam os R$ 100 milhões com as fortes chuvas que vem caindo na região desde o mês de dezembro do ano passado. Em Petrolina, um dos municípios de maior produção agrícola do Vale, foram registradas precipitações mais intensas e de maior volume nos meses de janeiro e agora, em fevereiro, superando as médias pluviométricas da região com um acumulado de 322,2 milímetros, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), que considerou este volume o maior já registrado desde 2004.De acordo com os produtores, em alguns lugares do município, a exemplo do projeto de irrigação Senador Nilo Coelho, os produtores chegaram a registrar até 500 milímetros neste mesmo período. Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), Jailson Lira, o excesso de chuva nos pomares, que recebem água controlada através de sistemas de irrigação, provocou a perda de aproximadamente 40 mil toneladas de frutas em fase de colheita.“O problema é mais grave nos parreirais de uvas com o apodrecimento das frutas e o aumento de doenças a exemplo do míldio e outros fungos para as uvas e antracnose para mangas, além das perdas pelo excesso de abortamento e comprometimento da floração”, ressaltou. O presidente acrescentou ainda que os produtores de manga também reclamam que as chuvas alteram a fitossanidade da fruta comprometendo o desenvolvimento vegetativo e a floração, diminuindo significativamente os índices de produtividade dos pomares.“Caso se confirme precipitações com a mesma intensidade, as chuvas podem comprometer significativamente a safra 2024.1, com enormes prejuízos atuais e para a safra do segundo semestre”, afirmou. O SPR criou um grupo técnico para acompanhamento das chuvas e vem monitorando os tratos culturais nos pomares, visando minimizar as perdas.

jc

Alerta À Igreja: O Destino Do Sal Insípido

Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens (Mt 5.13).

Essas contundentes palavras de Jesus muitas vezes têm sido interpretadas com leviandade pela maioria dos chamados “discípulos da era pós moderna”. Jesus disse isso aos seus seguidores, não com o objetivo de estabelecer apenas uma metáfora superficial, mas sim para conscientizá-los do devido “peso” da decisão de segui-lo. O sal, no contexto judaico, tinha um significado muito profundo. Além das características naturais, como conservante e tempero, o sal na cultura judaica antiga fazia parte de um simbolismo todo especial. Em um nível social, comer sal com alguém representava compartilhar de sua hospitalidade, atribuindo a ele sua subsistência. Mais profundo ainda é o fato de que qualquer um que compartilhasse do sal de seu anfitrião tinha a obrigação moral de cuidar de seus interesses.

Em uma esfera ainda mais importante o sal tinha uma relação direta com o ritual mais importante no relacionamento daquele povo com Deus, a oferta. Em Lv 2.13, Deus estabelece que toda oferta deveria ser temperada com sal antes de ser oferecida, o que caracterizava um pacto incorrupto, que não se podia violar. Assim sendo, além da preservação da carne e da adição do sabor, o sal lembrava o povo de Israel de sua aliança imutável e eterna com o grande “Eu sou”. A partir daí surge a chamada aliança de sal (Nm 18.19) que caracterizava uma aliança inquebrável e irrevogável. Isso nos revela uma verdade importantíssima a respeito desse simbolismo bíblico. Quando um judeu se referia ao sal, ele não se referia apenas a um tempero comum. Assim, Jesus não estava apenas fazendo uma metáfora vazia, mas queria passar uma mensagem.

Nós somos o sal da terra, o povo que reflete a aliança do Altíssimo com a humanidade. Nossa salvação se baseia em uma aliança eterna, inquebrável e irrevogável, que deve ser manifestada em nós e através de nós. O sal salga por natureza. Não é preciso um incentivo, um experimento científico ou uma mistura com outro condimento. Sua natureza é salgada, sua tendência é salgar. Da mesma forma, nossa natureza reflete a aliança com o Todo-Poderoso e nossa tendência constante deve ser a de temperar o mundo e proclamar a aliança.Mas o que fazer se tal aliança for violada? O que aconteceria se ela fosse simplesmente tratada com descaso? Qual seria o destino do sal insípido? A resposta de Jesus é categórica: “Como restaurar ao sal o seu sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.”

A analogia é a seguinte: Uma vez banalizada a aliança, esta perde o seu valor.

O ritmo frenético da vida moderna tem desviado a igreja de seu verdadeiro propósito. Nossa fé tem se resumido à satisfação instantânea de nossos desejos. O cristianismo moderno tem mais a ver com mel do que com sal. Procura-se mais adoçar a vida do que salgar o mundo.

Valoriza-se mais a obtenção de bens que satisfaçam o ego do que demonstrar o valor da aliança. Inúmeras vezes ressaltamos o iminente castigo sobre aqueles que viram suas costas à mensagem da salvação, mas esquecemos do destino daqueles que devem salgar o mundo com tal mensagem, e negligenciam seu dever. Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens! Este é o destino daqueles que se esquivam do seu papel como discípulo. Será lançado à terra e misturado com o mundo. Deixará de fazer diferença e passará a ser confundido com o chão em que os ímpios pisam. Note que não é preciso ser veneno, apenas deixar de ser sal. Nosso mundo apodrece dia após dia, nossa sociedade sofre com a influência satânica que a permeia. E nossa função é salgar. É proclamar a aliança que temos com Deus. É deixar de nos corrompermos com o veneno da maledicência, da fofoca, do orgulho e do egoísmo, para impregnarmos o tempero de Cristo na vida das pessoas. É espalhar o bom perfume de Cristo em um mundo mal cheiroso. É proclamar cada vez mais alto a mensagem da cruz, ainda que por causa desta mensagem sejamos perseguidos. A vida cristã não se encerra no momento em que nos tornamos cristãos, ela começa nesse momento! Daí para frente temos o compromisso de ser sal.

A Era do Mel

A partir do Século XIX, com o advento da Revolução Industrial e do Renascentismo, tivemos uma alteração significativa na filosofia de pensamento humano. Até então, de uma forma cega, as pessoas ainda relacionavam sua vida com Deus. A partir da chamada “era das luzes”, quando os pensadores e filósofos passaram por “iluminações” em seu modo de pensar, passamos a vivenciar o antropocentrismo, ou seja, o homem como centro de tudo. A partir daí temos a figura humana como causa e efeito de todas as grandes questões da vida. Deus deixa de ser criador para ser um espectador da evolução das espécies, e o homem assume o controle de sua própria existência e história. Essa ousadia egocêntrica se desenvolve através dos séculos até chegarmos ao ponto máximo do absolutismo da raça humana nos dias atuais. Uma preocupação exacerbada consigo mesmo, refletida no culto ao corpo e à alma. Os deuses agora são os próprios homens, ostentados nos postes do conhecimento, do dinheiro e do poder.

Infelizmente essa filosofia mundana se infiltrou sutilmente em nossas igrejas. Como fruto da influência social, nos deixamos permear com tal pensamento a ponto de invertermos a ordem das coisas em nossa maneira de cultuar. De grande espectador da adoração, Deus passa a ser mais parecido com o “Grande Gênio da Lâmpada” que deve satisfazer todo e qualquer desejo do homem, seja ele condizente ou não com sua suprema vontade. O Grande Senhor agora é questionado e muitas vezes desafiado pelos seus servos que agora determinam, outorgam, exigem e ordenam como senhores de seus próprios destinos. Os templos deixam de ser lugares de adoração, para se tornarem consultórios psiquiátricos e supermercados onde se espera encontrar os mais diversos artigos, desde um carro Okm, até um aumento salarial. Não que essas coisas não possam fazer parte da vida de um cristão, mas o grande problema é que invertemos a ordem dos fatores. Sutilmente reescrevemos a Bíblia: “Buscai primeiro seus interesses e o reino de Deus lhe será acrescentado”.

Esse é o evangelho do mel e não do sal. Nossa aliança com Deus nunca será evidenciada no evangelho antropocêntrico. Enquanto estivermos no centro de tudo, buscando nosso bem estar acima do interesses de Deus, nossa vida não fará diferença alguma em lugar algum. Nesse caso, o sal perde o sabor, e voltamos para a grande pergunta do Mestre: “Como restaurar-lhe o sabor?

Altares Cheios de Sal

Estamos vivendo a era dos altares cheios, dos apelos atendidos com grande facilidade e do aparente quebrantamento. No entanto, devemos avaliar o que tem levado o povo ao altar: Arrependimento ou auto-preservação? Qual a intenção por trás das lágrimas? Qual a motivação que se esconde debaixo dos joelhos dobrados? Os altares de nossas igrejas devem estar cheios de ofertas temperadas com sal. Vidas que se ofereçam em sacrifício de holocausto, temperado com a aliança de sal. É hora de voltarmos aos propósitos originais de nossa salvação. De enxergarmos nossa aliança e fazê-la valer em um mundo perverso e corrupto. É hora de cuidarmos dos interesses daquele que um dia compartilhou do seu sal conosco, e atribuirmos a ele nossa subsistência. “Porque por ele, por meio dele e para ele são todas as coisas” (Rm 11.36).

Enfim, temos um papel a desempenhar. Nós, Corpo de Cristo, somos a misericórdia de Deus com braços e pernas. O grande amor do Pai, demonstrado no Filho, só pode ser conhecido pelos homens através do Espírito de Deus que habita em nós. Até quando ficaremos nos degladiando dentro dos templos, esquecendo da multidão que perece sem Cristo? Não posso imaginar a possibilidade de não sermos questionados por Deus em relação a isso algum dia. Negligenciar a aliança é tornar o sal insípido. E o destino deste sal insípido não é nada agradável. Quando o nosso Mestre voltar, não queremos ser contados entre os imperceptíveis grãos de sal pisoteados pelos homens. Queremos fazer o que nossa essência nos manda fazer: salgar a terra.

“Tende sal em vós mesmos e paz uns com os outros” (Mc 9.50b).

Ministro Fernando Haddad testou positivo para covid-19

ministro da Fazenda, Fernando Haddad, foi diagnosticado com covid-19, o que poderá comprometer a sua participação presencial nos eventos do G20 no Brasil, que ocorrem nesta semana em São Paulo, informou a pasta. De acordo com a assessoria de imprensa, Haddad se sentiu indisposto no domingo, 25, e fez o teste que apontou infecção pela doença. Apesar disso, o ministro passa bem. “A participação presencial nos compromissos do G20 ao longo da semana poderá ficar comprometida. No entanto, o ministro presidirá as reuniões previstas para os dias 28 e 29 de fevereiro de forma virtual, com as participações presenciais do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e do secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dario Durigan”, disse a pasta em nota. Nesta semana, além de intensa agenda na primeira reunião em nível ministerial da Trilha de Finanças do G20 durante a presidência brasileira no grupo, Haddad também estava escalado para anunciar o novo mecanismo de hedge cambial para instrumentos verdes nesta manhã. De acordo com a Fazenda, Haddad seguirá fazendo novos testes para, em caso de diagnóstico negativo, estar liberado para participar presencialmente dos eventos do G20 em São Paulo, especificamente nos dias 28 e 29 de fevereiro, quando preside as reuniões. “Reiteramos que a programação oficial do G20 está preservada e que o ministro estará representado em todos os eventos”, disse.

jc

Governo lança programa ‘Infância Protegida’ e anuncia a criação de mais de 100 leitos de internamento

O Governo de Pernambuco lançou, nesta segunda-feira (26), o Plano de Contingência das Doenças Respiratórias Sazonais na Infância para o ano de 2024, chamado de ‘Infância Protegida’. Com a presença da governadora Raquel Lyra e da vice, Priscila Krause, o documento foi apresentado pela secretária de Saúde, Zilda Cavalcanti.

INFÂNCIA PROTEGIDA

O objetivo do programa é determinar ações para garantir a rápida detecção e resposta aos casos, surtos ou epidemias decorrentes da circulação dos vírus respiratórios. Para minimizar o impacto da demanda de internamentos, foi anunciada a criação de mais de 100 leitos de internamento pediátrico da rede de saúde do Estado. “Estamos investindo R$ 9 milhões por mês para garantir o material humano, os insumos necessários para este enfrentamento com a abertura dos leitos adequados. E não estamos atuando somente durante a sazonalidade dessa síndrome, mas o ano inteiro. No ano passado criamos 135 leitos e já temos prontos mais 100 para serem abertos quando forem necessários. Então, a nossa expectativa é oferecer um tratamento mais eficiente para as crianças pernambucanas”, afirmou Raquel Lyra.

jc

Como Cordeiros entre Lobos

  É um dos preceitos fundamentais da liderança que um líder deve servir de exemplo para seus liderados. O próprio apóstolo Pedro destaca este princípio em 1Pedro 5.3 ao escrever: “Não ajam como dominadores dos que foram confiados a vocês, mas como exemplos para o rebanho”. Ao longo da vida, infelizmente tenho visto muitos líderes cristãos que ignoram esse princípio. Devo confessar que algumas vezes eu também falhei em dar um bom exemplo aos que liderava. Com o tempo, fui aprendendo que, ao errar, posso ser um bom exemplo em pedir perdão e corrigir meu proceder.

Esses dias, ao fazer meu devocional em Lucas, cheguei a Lucas 10.3: “Vão! Eu os envio como cordeiros no meio de lobos”. Parei para refletir nesse ensino de Jesus. A característica mais marcante de ser enviado como cordeiro é que o cordeiro não tem, por si só, defesa contra lobos. Salta também à nossa mente a atitude de um cordeiro, que é a própria representação da vulnerabilidade e fragilidade. Diante desse contraste, Deus me conduziu a refletir sobre o fato de que a força, autoridade ou mesmo impacto do cordeiro não está em si mesmo, mas aponta para aquele que o envia, o próprio Jesus. Cordeiro entre lobos evidencia que o cordeiro não obtém vitória por sua astúcia, tamanho, ferocidade ou sagacidade. Sua expectativa de vitória, para não dizer sua própria sobrevivência, está no pastor que o acompanha.

O cordeiro não obtém vitória por sua astúcia, tamanho, ferocidade ou sagacidade. Sua expectativa de vitória, para não dizer sua própria sobrevivência, está no pastor que o acompanha.

Uma vez mais, confesso que tenho visto muitos líderes cristãos que buscam “vencer” por sua astúcia, tamanho, ferocidade ou raciocínio. Em outros, percebi que se portavam mais como lobos no meio de lobos do que cordeiros. Uma vez mais, confesso que algumas vezes eu fiz o mesmo. Ao invés de me comportar como cordeiro, crendo que Deus me havia chamado a combater o mal, eu me comportei como leão. Todas as vitórias que obtive assim foram efêmeras, ou pelo menos acrescentaram pouco aos propósitos de Deus. Dependendo do seu temperamento, talvez você, assim como eu, tenha algumas vezes tentado rugir como leão, esquecendo que nossa voz própria é um balido.

Entre as várias passagens que me vieram à mente enquanto meditava, uma que me fez parar e examiná-la foi Zacarias 4.6: “Esta é a palavra do Senhor para Zorobabel: ‘Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito’, diz o Senhor dos Exércitos”. A passagem se refere à reconstrução do templo de Jerusalém após o exílio. E a afirmação é que este seria reconstruído não por força ou poder, mas pelo Espírito de Deus. Importa lembrar que o templo de Jerusalém era o símbolo da própria presença de Deus na terra. Creio que podemos extrair desse relato que a vontade de Deus, sua expressão, não é obtida por força ou violência.

A vontade de Deus, sua expressão, não é obtida por força ou violência.

Nesses últimos meses tenho me submetido a uma série de exames médicos. Um exame é sempre uma experiência de fragilidade, assim, tenho tido minha fragilidade exposta para mim mesmo. Primeiro, por ter de investigar algo em meu corpo que não está funcionando como deveria; em segundo lugar, você tem que se submeter à equipe do hospital. Vestir roupas que não usaria em outras circunstâncias e aceitar procedimentos que são, no mínimo, desconfortáveis. Enquanto pensava ainda na passagem dos cordeiros entre lobos, eu me lembrei da encarnação de nosso Senhor! Ele certamente se fez frágil (dificilmente poderia se fazer mais frágil), se esvaziou de sua glória, aceitou uma forma humilde e, durante toda a sua vida, foi exemplo de humildade, no final aceitando a morte e morte de cruz (Filipenses 2.6-8). Ele demonstrou aquilo que somos chamados a fazer: ter a mesma atitude de Cristo Jesus (Filipenses 2.5). Nestes tempos em que somos desafiados por ideologias, manobras políticas, afrontas diretas e indiretas, nestes tempos em que o inimigo parece estar vencendo (imagine uma alcateia de lobos cercando um cordeiro), quando nossa derrota parece certa e quando somos tentados a reagir como lobos, nosso chamado é sermos como Jesus, como o cordeiro. Sabendo que qualquer vitória que tenha impacto eterno vem dele e não de nossa força. Minha oração é que o Natal, com o relato da encarnação, seja uma oportunidade para que você e eu reflitamos sobre a mansidão e a dependência do nosso Senhor, pois é a mesma à qual somos chamados.

chamada

Mentira, a Raiz do Pecado

Assim como você, eu tenho assistido – e ficado cansado e frustrado com – a guerra de narrativas na política brasileira, latino-americana e mundial. Ontem eu ouvi um líder palestino afirmar repetidas vezes e com ênfase que a corte de Haia havia reconhecido que Israel era responsável por genocídio em Gaza. Tendo lido várias reportagens a respeito, voltei a ler a decisão da Corte Internacional. E, com a maior isenção possível, não há ali uma acusação ou reconhecimento de que Israel tem praticado genocídio. Há sim um alerta para que isso não aconteça.

Na vizinha Venezuela, os candidatos da oposição são julgados inelegíveis e agora condenados à prisão, enquanto o presidente/ditador afirma que está fazendo isso em defesa da democracia. Mais perto de casa, nosso atual presidente, em defesa do referido presidente/ditador, afirmou que o conceito de democracia é relativo. E ouço, quase no mesmo dia, que o número de crimes violentos diminuiu e que o número de crimes violentos aumentou em 2023. Ambas as informações vêm de órgãos que aparentam ter credibilidade.

Isso seria trágico e pernicioso se estivesse apenas no ambiente do mundo e da política. No entanto, se você tem vivido há alguns anos na igreja, temos episódios de relatos conflitantes entre cristãos. Ao longo dos meus mais de trinta anos aconselhando casais, aprendi que não se pode ouvir um lado só. Ao ouvir a esposa (em geral é quem vem apresentar qualquer queixa ao pastor), eu penso: “Coitada, casou-se com um orangotango”. Quando ouço o marido, penso: “Pobrezinho, casou-se com uma bruxa!”. É evidente que, para conhecer a verdade, em geral precisamos filtrar elementos de ambos os lados, incluindo alguns e corrigindo outros. Em meu ministério de mentoria de pastores, tenho visto a mesma coisa em termos de relações entre pastores e a liderança de suas igrejas. Vejo relatos do mesmo evento de perspectivas tão diferentes que parece que estão falando de coisas diferentes. Tenho visto narrativas construídas a partir de “meias-verdades” e que, com o tempo, se tornam verdades indiscutíveis.

Isso me faz voltar ao conceito da mentira e de como esta é o fundamento da rebelião contra Deus. Tentar reduzir a rebelião de Satanás a um só pecado me parece fútil. No entanto, entre outros (orgulho, desobediência, arrogância), creio que a mentira é sua raiz. Mentira como um relato que distorce a verdade. Pensando assim, qualquer atitude que se levanta contra Deus, que é a própria verdade (João 14.6), é uma mentira. Quando Satanás decidiu ser igual a Deus, ele se rebelou contra a verdade (o próprio Deus) e contra a verdade de que ele é supremo. Não é de surpreender que, ao tentar Eva, ele afirme mentiras (Gênesis 3.4-5). A partir daí, toda a sua estratégia se baseia em atacar, ocultar e distorcer a verdade, por isso Jesus afirma que ele é o “pai da mentira” (João 8.44).

Mentira [é] um relato que distorce a verdade. Pensando assim, qualquer atitude que se levanta contra Deus, que é a própria verdade (João 14.6), é uma mentira.

Pensando nisso, tanto em relação ao que ouvimos quanto a como interpretamos e relatamos as experiências que vivemos, gostaria de dar algumas sugestões:

  1. Busque ativamente a verdade. Em muitas situações, percebo cristãos se entregando a uma postura de “nunca vamos saber a verdade sobre esse evento”. Sem dúvida, há muitas situações em que não temos e nunca teremos todos os dados, mas isso não deve nos isentar de buscar o que podemos buscar e não abrir mão da verdade.
  2. Cultive um compromisso pessoal com a verdade. Não só fale a verdade, mas tenha muito cuidado ao relatar um evento. É comum tomarmos liberdades para “colorir” o evento de forma a dar ao mesmo uma perspectiva mais favorável. Resista corajosamente a relatar algo com parcialidade. Deus, que é a verdade, não precisa e não usa de mentira. Essa ferramenta é usada pelo inimigo.
  3. Não existe meia-verdade. Quanta mentira precisa existir em uma afirmação para que esta deixe de ser verdade? Mesmo uma pequena porção de mentira faz com que o relato seja mentiroso. No caso acima da acusação de genocídio de Israel, a conclusão da Corte Internacional não é que Israel cometeu genocídio. No entanto, Israel foi alertado para não cometer ações que possam ser interpretadas como genocídio. Alguém pode afirmar: “É a mesma coisa…”. Não é. A acusação foi negada, não foi acatada, ou seja, a conclusão é de que não houve genocídio, embora possa haver alguns indícios. Prepare-se para ouvir nos próximos tempos que Israel foi condenado pela Corte Internacional por genocídio.
  4. Cuidado para não julgar. A realidade é que há muitas situações que não sabemos os fatos, apenas desconfiamos. Às vezes desconfiamos com muita intensidade, pois a pessoa ou organização em questão tem um histórico nesse sentido. Todavia, não podemos completar as lacunas e pular direto para acatar ou negar afirmações com base em nossas impressões, preferências ou preconceitos. Especialmente com respeito à intenção de pessoas, a Palavra nos diz que apenas o indivíduo conhece seu próprio coração (1Coríntios 2.11).

Deus, que é a verdade, não precisa e não usa de mentira. Essa ferramenta é usada pelo inimigo.

Vivemos em um mundo caído e somos pessoas caídas, mas redimidas pela graça de Jesus. Minha oração por mim mesmo e por você é que sejamos conhecidos como pessoas que, devido à habitação do Espírito Santo e nosso compromisso com o Pai, proclamemos Jesus seguindo as instruções de Efésios 4.15: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em todas as coisas naquele que é a cabeça, Cristo”.

chamada

Uma profissional dedicada, é assim que Mari Gonzalez (27) se denomina. Repórter e apresentadora contratada da TV Globo, onde tem comandado o Mesacast BBB 24, a baiana tem celebrado o atual momento da carreira. Em entrevista à CARAS Brasil, ela abriu o coração e comentou sobre como tem encarado a oportunidade de apresentar um programa ao vivo para falar sobre o BBB 24 no Globoplay.

“Eu sou comprometida com o meu lado profissional. Não sei – e nem pretendo aprender- a fazer nada pela metade. Mergulho de cabeça. E eu gosto do processo, sou estudiosa, me preparo, revejo algumas cenas e falas. Tenho muito respeito sobretudo ao público que me acompanha, que me incentiva e que me apoia sempre que algo novo surge na minha caminhada profissional”, declara. 

Com pouco mais de um mês de programa no ar, Mari teve que se adaptar rapidamente à dinâmica da atração, que além de comentar sobre BBB 24, também recebe convidados para uma conversa ao vivo. Segundo ela, tudo é feito com muito respeito e tem sido uma experiência profissional enriquecedora. 

“Fazer ao vivo é algo único, inexplicável. A gente precisa estar pronta e também improvisar, lidar com o inesperado. No Big Day, foram muitas horas no ar, conversando com pessoas que trazem pensamentos diferentes, opiniões distintas e com formas de se expressarem muito particulares. Foi uma experiência essencial”, diz.

Apesar de já ter uma certa bagagem como repórter de televisão, Mari diz que o lado ex-BBB tem sido ainda mais importante neste projeto. “Estar nos bastidores, sendo uma ex-BBB, tem um algo a mais, afinal eu estive do outro lado também. As experiências são muito pessoais, mas ter na minha bagagem a estadia na casa mais vigiada do Brasil me traz um olhar mais abrangente e até generoso ao comentar sobre o programa e seus participantes”, avalia. Logo no primeiro dia do MesaCast BBB 24, Mari divertiu os internautas com alguns errinhos que acabaram se tornando memes nas redes sociais. Para ela, momentos de descontração fazem parte do trabalho e, inclusive, faz questão de entrar nas brincadeiras. “Eu também me divirto com eles. Tem que ter um equilíbrio entre não se levar a sério e manter o comprometimento com seus projetos, talvez seja um caminho que eu tenha escolhido genuinamente”, explica.

caras

FRUTAS QUE ‘SUGAM’ O AÇÚCAR DO SANGUE: veja 5 FRUTAS QUE COMBATEM A GLICOSE ALTA; frutas para baixar DIABETES

Vamos explorar algumas das frutas que podem fazer parte de uma dieta saudável para diabéticos.

FRUTAS QUE BAIXAM O AÇÚCAR NO SANGUE

Maçãs: As maçãs são uma excelente opção para quem tem diabetes. Elas são ricas em fibras solúveis, que ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Além disso, seu consumo está associado a um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Pera: Semelhante à maçã, a pera é outra fruta rica em fibras e com baixo índice glicêmico. Isso significa que ela libera açúcar no sangue de forma gradual, evitando picos de glicose.

Mirtilos: Os mirtilos são uma fonte de antioxidantes poderosos, conhecidos como antocianinas, que podem ajudar a melhorar a sensibilidade à insulina. Eles também são baixos em calorias e açúcares, tornando-os uma ótima opção para diabéticos.

Abacate: Apesar de ser uma fruta, o abacate tem baixo teor de carboidratos e é rico em gorduras saudáveis, que podem ajudar a manter os níveis de açúcar no sangue estáveis.

Cerejas: As cerejas contêm antocianinas e outros compostos que podem ajudar a reduzir a inflamação e melhorar a sensibilidade à insulina. No entanto, é importante consumi-las com moderação devido ao seu teor de açúcar.

Kiwi: O kiwi é uma excelente fonte de vitamina C, fibras e antioxidantes. Sua ingestão pode ser benéfica para diabéticos, ajudando a controlar os níveis de glicose.

Laranjas: As laranjas são uma fonte natural de vitamina C e fibras. Quando consumidas com moderação, podem ser incluídas na dieta de pessoas com diabetes.

CUIDADOS

É importante destacar que o controle da diabetes envolve mais do que apenas a inclusão de frutas na dieta. Consultar um profissional de saúde ou nutricionista é fundamental para criar um plano alimentar adequado às necessidades individuaisAlém disso, monitorar regularmente os níveis de glicose no sangue e manter um estilo de vida ativo são passos essenciais no manejo eficaz da diabetes. Lembre-se de que as frutas mencionadas acima podem ser benéficas, mas o consumo excessivo de qualquer alimento, mesmo os saudáveis, pode afetar os níveis de glicose no sangue. Portanto, é importante manter um equilíbrio e seguir as orientações de um profissional de saúde para garantir o melhor controle da diabetes e uma vida saudável.

A diabetes é uma doença crônica que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, e seu controle adequado é fundamental para evitar complicações graves. Além do tratamento médico, a alimentação desempenha um papel crucial no gerenciamento da diabetes. E, nesse contexto, as frutas surgem como aliadas poderosas no controle da glicose no sangue.

jc.ne10

Prefeituras recebem o maior repasse na história do FPM em fevereiro; receita cresce mais de 55%

As contas das prefeituras do país recebem nesta terça-feira (20/02), o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 2º decêndio do mês de fevereiro. O valor repassado será de R$ 1,8 bilhão (exatos 1.791.367.451,92), já descontada a retenção do Fundeb (Educação). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de R$ 2.239.209.314,90. De acordo com os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o 2º decêndio de fevereiro de 2024, comparado com mesmo decêndio do ano anterior, apresentou um crescimento de 55,28%. O valor do segundo decêndio de fevereiro de 2024 é o maior repasse na história, superando o valor do segundo decêndio de fevereiro de 2023, que até então havia sido o maior. Considerando o ano de 2024, o volume dos repasses do FPM cresceu, em termos nominais, 10,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Ao se retirar o efeito da inflação do período, é possível observar um crescimento real de 6,39%.

Importante

Mesmo com o elevado crescimento do FPM no início de 2024, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) orienta aos gestores municipais o uso dos repasses com cautela e atenção. É de suma importância neste momento – de crise financeira – que o gestor tenha pleno controle das finanças da prefeitura. A Confederação destaca que seguirá acompanhando de perto a evolução do FPM a fim de garantir a autonomia dos Municípios brasileiros, uma vez que há a expectativa de crescimento moderado do FPM, ao contrário do observado entre 2021 e 2022. O ano de 2024 segue desafiador para a gestão municipal. O recurso do FPM vem da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). As parcelas mais altas neste repasse vão para os municípios dos estados de São Paulo (R$ 220 mi), Minas Gerais (R$ 219 mi) e Bahia (R$ 143 mi). Na lista dos entes bloqueados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), até hoje (20), 55 municípios estão com alguma pendência e podem não receber o repasse na data. No Tocantins, os municípios de Araguatins e Formoso do Araguaia aparecem com bloqueio.

Os valores do FPM são repassados todos os meses, nos dias 10, 20 e 30, e calculados pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A parcela de cada município depende do número de habitantes e da renda per capita

Confira no mapa os valores repassados ao seu município

afnoticias.com.br

Climão entre Mercadante e Tebet na posse de Cappelli

Uma divergência de opiniões entre Aloizio Mercadante e Simone Tebet por pouco não se tornou um mal-estar capaz de ofuscar a posse de Ricardo Cappelli, ontem, na presidência da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) — que reuniu vários ministros, governadores, prefeitos e parlamentares. O começo do constrangimento começou quando o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) cobrou da ministra do Planejamento mais investimento público no Orçamento da União.”Temos que ter medidas de defesa comercial e proteger o mercado, assim como o resto do mundo está fazendo, ou não teremos reindustrialização. Como a nossa ministra Tebet está aqui, cortar gasto público é como cortar cabelo — tem que fazer porque sempre tem desperdício. Mas vamos cortar no custeio, vamos melhorar a eficiência do gasto público, vamos cortar no desperdício e vamos retomar o investimento público em parceria com o setor privado. Com isso, esse país vai voltar a crescer, vai voltar a surpreender”, disse Mercadante. O presidente do BNDES foi além: apesar de reconhecer que o país não pode renunciar à estabilidade econômica, disse que a política industrial dos países ricos passa pelo investimento público a fundo perdido — ou seja, sem o compromisso da entidade recebedora do recurso de devolvê-lo. “O mundo está botando dinheiro a fundo perdido na inovação. Nos Estados Unidos, US$ 1,2 trilhão; na Europa, US$ 1,7 trilhão; no Japão, US$ 1,5 trilhão. O Brasil não pode botar nem US$ 60 bilhões”, criticou.Tebet deixou claro que as afirmações de Mercadante a constrangeram. Além de dizer “não posso deixar de responder algumas provocações, algumas delas do meu querido colega de trabalho e companheiro”, rebateu o presidente do BNDES afirmando que “temos que parar de governar para o passado”.

“Quando o Mercadante fala que é preciso cortar gastos, mas com sabedoria, é isso que estamos fazendo. Tive uma reunião com o ministro (Fernando) Haddad e disse não é possível um país da grandeza do Brasil pagar R$ 80 bilhões em precatórios, em dívidas passadas, e não ter isso para investimento”, rebateu.A ministra ainda lembrou que sua maior atribuição no governo federal é ser uma voz dissonante. “Quando o presidente Lula me colocou nesse ministério, me deu uma missão: a de ser esse equilíbrio na equipe econômica, muitas vezes ser uma voz dissidente. Que bom que estou precisando falar tão pouco como dissidente e muito mais como voz harmoniosa junto à equipe do ministro Haddad. O nosso foco está no combate a esses juros exorbitantes, na criação de postos de trabalho, com carteira de trabalho. Não vamos cortar nada daquilo que interfere na vida daqueles que mais precisam. Entre a responsabilidade fiscal e a justiça social, não há uma escolha de Sofia. É um que garante o outro”, alfinetou.

Ao fim da cerimônia, enquanto Cappelli era cumprimentado, o Correio flagrou Tebet e Mercadante no palco debatendo calorosamente. A reportagem indagou às assessorias do presidente do BNDES e da ministra sobre o teor da discussão, mas, até o fechamento desta edição, não obteve resposta.

Leia mais…

Petrobras e MinC lançam edital que destinará R$ 250 milhões para projetos culturais via leis Rouanet e do Audiovisual

A Petrobras, em parceria com o Ministério da Cultura (MinC), lançou nesta sexta-feira (23) um edital público de financiamento da cultura brasileira com o maior aporte de recursos da história. Os patrocínios serão realizados por meio de incentivos fiscais da Lei Rouanet e da Lei do Audiovisual, no valor total de R$ 250 milhões. A cerimônia de lançamento foi realizada no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro. Diante da plateia repleta de artistas de todo o país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou o momento histórico em que foi retomado o investimento da empresa de energia em projetos culturais. “A Petrobras voltou a investir numa energia revolucionária, formadora de consciência política da população brasileira, que é a cultura. Ela simplesmente interessa ao povo, assim como um prato de comida ou qualquer outra coisa que o ser humano faça”, declarou. Lula aproveitou a presença dos presidentes do BNDES, Aloizio Mercadante; do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros; e da Caixa, Carlos Vieira, para reforçar que os bancos e as empresas brasileiras precisam seguir o exemplo da Petrobras e destinar recursos e mecanismos para viabilizar a produção cultural. “Ela [ produção cultural] precisa de crédito, gera emprego e distribuição de renda. Um país que quer ser livre e soberano vai ter que utilizar todo mecanismo possível para fazer com que a cultura não seja para poucos, mas para todos”, completou o presidente. A ministra Margareth Menezes celebrou a parceria com o MinC na elaboração do edital. “Voltamos a encontrar o traço de união das nossas potências nesse momento em que temos buscado ativamente elaborar políticas culturais para todas as pessoas e todas as regiões”, pontuou. “Juntos temos a missão de qualificar as políticas culturais, estamos plantando oportunidades para colher emancipação, emprego e renda”.A chefe da Cultura fez uma analogia entre a Petrobras e o MinC. “A energia e a cultura são elementos de uma sociedade, de um povo e de um país. As fontes energéticas são softwares para alimentar as máquinas que fazem gerar o ativo principal de desenvolvimento do país. A cultura é onde habita o software power para trazer pertencimento a essas riquezas”, elencou. “Um povo que tem a cultura forte e aprende a valorizá-la e consumi-la é um povo que tem autonomia e envergadura de poder diante do mundo”. Também agradecido pela parceria, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, se disse emocionado com a retomada do programa, criado em 1991 . “A Petrobras sempre foi sinônimo de cultura do Brasil e isso estava se perdendo. Estamos recolocando nosso apoio num lugar de importância do qual ele nunca deveria ter saído”, comemorou. “Nós acreditamos no poder transformador da cultura, um país que valoriza a cultura cria novas oportunidades a todo dia, projeta o futuro e é também um país mais justo. ”Escolhida para representar a classe artística no evento, a atriz, diretora e produtora cultural Leandra Leal afirmou que a Petrobras e o MinC estão dando um exemplo para todo o Brasil. “Que essa atitude leve a uma melhor valorização da economia criativa, para que a cultura e a criatividade estejam no eixo central do desenvolvimento econômico, social e sustentável do nosso país, que tenhamos mais editais, linhas de crédito, facilitação de importação e exportação, e seriedade na formação técnica para a juventude”, destacou. 

Diversidade e nacionalização da cultura

O Programa Petrobras Cultural já destinou R$ 28 bilhões para todos os segmentos artísticos. Em 2024, sintonizando suas ações de financiamento para o setor com as recentes políticas definidas pelo MinC, a empresa de energia aponta, no edital lançado nesta sexta, ter como objetivo viabilizar a difusão de circuitos artísticos e a possibilidade de vivenciar a cultura em todo o território nacional; investir regionalmente os recursos do programa; estimular a presença da diversidade de temas, realizadores e públicos; apoiar ações artísticas e culturais que estimulem o desenvolvimento da economia criativa brasileira.

Leia mais…

Parceria histórica fortalece agricultura familiar no semiárido

Hoje, em um encontro de proporções marcantes, representantes da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Embrapa Algodão, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Ematerce se reuniram para discutir um projeto estratégico para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar no semiárido brasileiro.Com a agricultura familiar enfrentando desafios técnicos, sociais e econômicos constantes, a iniciativa ganha destaque como um esforço conjunto para enfrentar tais adversidades. O objetivo primordial do projeto é a expansão e desenvolvimento das áreas de cultivo de algodão agroecológico, em associação com culturas alimentares, visando proporcionar geração de renda e melhorias significativas na qualidade de vida dos agricultores familiares.A abordagem metodológica adotada contempla a instalação de 30 unidades de Aprendizagem e Pesquisa Participativa (UAP), com capacitação de técnicos, agentes de desenvolvimento e agricultores através da prática e experimentação participativas.Dentre as metas estabelecidas, destaca-se a realização de cinco cursos de nivelamento dos conceitos metodológicos para cada fase da cultura do algodão em cada UAP, totalizando 150 cursos ministrados. O foco será em tecnologias e procedimentos que visem aumentar a produtividade, rentabilidade e sustentabilidade da cultura do algodão agroecológico.

A parceria entre esses importantes órgãos e instituições reflete o compromisso com a difusão de tecnologias que não apenas impulsionem a produção agrícola, mas também promovam o desenvolvimento rural sustentável. Juntos, esses esforços visam transformar positivamente as comunidades agrícolas do semiárido brasileiro, promovendo uma agricultura mais eficiente e sustentável.

ematerce.ce.gov.br

Falta de professores(as) nas escolas impõe necessidade de acelerar convocações de aprovados(as) no concurso e chamamentos de PSS

A falta de professores(as) nas escolas impõe necessidade de acelerar as convocações dos(as) aprovados(as) no concurso de 2023 e nos Processos de Seleção Simplificada (PSS). “Há muitas reclamações de que estudantes não estão tendo o número de aulas que deveriam ter”, diz Élio da Silva, secretário de Finanças e coordenador de PSS da APP. A APP reivindica à Seed que a distribuição de aulas aconteça em dezembro, para evitar problemas com falta de professores(as) no início do ano letivo. “A Seed precisa se organizar melhor, para evitar esse atropelo com tantos problemas por falta de professores. Infelizmente nossa demanda não tem sido atendida”, afirma Élio.“Há PSS aprovados e que não foram chamados ainda. Há professores habilitados que fizeram a prova pelo edital 30 e 70, mas esse processo de chamamento está muito lento”, afirma. Até agora, o governo deu posse a apenas 1.256 aprovados(as) no concurso de 2023. “Agora o governo chamou mais 1.144, mas o processo está muito demorado. Essas pessoas ainda passarão por avaliação médica e só daqui a um mês tomarão posse”, diz Élio. As convocações são poucas, considerando a necessidade de professores e o número de aprovados, avalia Élio. “O Sindicato luta para que esse número de vagas seja ampliado. Se há falta de professor e há aprovados em concurso público, eles devem ser chamados de forma mais rápida e dinâmica”, defende. A APP obteve o depoimento de uma professora de escola de Almirante Tamandaré que confirma que a falta de professores está prejudicando o início do ano letivo. “Tem turmas que passam o período todo sem professor”, diz a educadora, que não será identificada por temer represálias do governo. “Temos de 800 a 900 estudantes, em todos os períodos tem turmas que não tem alguma aula.  Desde que inicio ano está dessa forma, o que complica a vida da comunidade escolar”, afirma a professora, cujo colégio não recebeu novos professores aprovados no concurso. Em enquete rápida no Instagram da APP nesta quinta-feira (22), 51 dos 53 respondentes afirmaram que faltam professores(as) para completar o quadro da escola. 

Destaque

Leia mais…

Mais um concurso para este ano; agora da Caixa

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, anunciou que o edital para o tão aguardado concurso do banco, com 4 mil vagas, vai sair hoje. Desde a semana passada, a expectativa era grande para o anúncio. Após se encontrar com o presidente Lula, no Planalto, ontem, Vieira trouxe o alívio para os concurseiros de plantão. “Cumprindo uma das recomendações do presidente [Lula], que a Caixa elaborasse e saísse com concurso público, nós fomos entregar a cópia do edital que vai estar publicado amanhã [hoje] no Diário Oficial”, disse Carlos Vieira. “O concurso público que a caixa realiza, após 10 anos, será para quatro mil novos empregados, com a destinação de duas mil vagas para o técnico bancário de carreira recorrente e duas mil vagas para os empregados que vão aderir à nossa categoria de tecnologia”, reforçou. Vieira destacou que as novas contratações fazem parte da estratégia de modernização da Caixa, “ao mesmo tempo que a gente estimula dentro das políticas do governo o emprego e a renda no país”, disse. Segundo ele, o concurso ocorrerá ainda no primeiro trimestre e o processo de convocação desses selecionados se dará até o fim do ano. Das oportunidades, duas mil serão para o cargo de Técnico Bancário Novo (TBN) e duas mil para Técnico Bancário Novo para a área de TI. Além disso, há previsão de abertura de concurso de nível superior, sendo 28 vagas, incluindo cadastro de reserva, para médicos do trabalho e 22 vagas, incluindo cadastro de reserva, para engenheiros de segurança do trabalho. O novo concurso foi aprovado pelo conselho de administração da Caixa em 11 de fevereiro. Para o cargo de TBN, o salário inicial é de R$ 3.762. Já para as carreiras de médico do trabalho e de engenheiro de segurança do trabalho, a remuneração inicial é de R$ 11.186 e R$ 14.915, respectivamente. Os selecionados ainda terão os seguintes benefícios: assistência à saúde, previdência complementar, auxílio alimentação e refeição, vale transporte, auxílio creche, dentre outros. 

diariodepernambuco

Raquel Lyra cria grupo de trabalho que acelera contratação de 10 mil moradias no Estado

Um decreto da governadora Raquel Lyra publicado na edição deste sábado (24) do Diário Oficial do Estado criou um grupo de trabalho intersetorial com o objetivo de acelerar as contratações de mais de 10 mil empreendimentos habitacionais no Estado. As moradias são selecionadas no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida, com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). O grupo é formado por seis órgãos estaduais e vai garantir a liberação das licenças no tempo necessário para contratar os empreendimentos com a Caixa Econômica Federal (CEF), agente financiador do programa federal, dentro do prazo previsto pelo Ministério das Cidades, ou seja, 15 dias após a solicitação ser protocolada.”Agora nós temos uma nova cultura de trabalho no Estado. Antes, as nossas equipes técnicas não trabalhavam com foco voltado para entrega. Isso mudou. Nossos técnicos, hoje, trabalham com meta e prazo para garantir o que a sociedade espera da gente, o benefício na vida das pessoas e não apenas a assinatura de uma obra ou a licitação publicada”, afirmou a governadora Raquel Lyra. 
O Grupo de Trabalho será responsável por estabelecer os parâmetros para a emissão dos documentos necessários à viabilidade técnica dos empreendimentos. Além disso, o grupo também irá formalizar os contratos habitacionais das 10.276 unidades destinadas ao Estado.
A equipe será composta por dois representantes de cada um dos seguintes órgãos e entidades: Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab); e Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem).
Participam como convidados técnicos da Caixa Econômica Federal, NeoEnergia, construtoras selecionadas pelo Ministério das Cidades e municípios responsáveis pelas licenças. O grupo se reunirá semanalmente em caráter ordinário, e extraordinariamente quando convocado pela Seduh, que ocupará a presidência. Histórico – No fim de novembro,  o governo federal publicou a seleção do Minha Casa, Minha Vida FAR. Com a doação de terrenos, o Estado conseguiu uma oferta 60% maior do que a prevista na portaria publicada em junho de 2023, de apenas 6.325 unidades para o Estado. Isso representa mais famílias que poderão contar com um auxílio importante, em uma linha que dá subsídios para pessoas com renda de até dois salários mínimos (R$ 2.640).  Nessa modalidade, o Governo recebe propostas de empresas da construção civil e entidades públicas (prefeituras e estados) para construção de habitacionais que serão financiados com recursos do FAR, que têm uma taxa de juros mais baixa. O Governo de Pernambuco se antecipou e, nesse período, ofereceu ao governo federal 21 terrenos que tinham capacidade de receber 5.628 novas unidades habitacionais. Diante dessa oferta de terrenos, o governo federal refez os cálculos, ponderando que parte importante dos recursos serviria apenas para comprar terrenos. Com a ajuda do Estado, grande parte dessa despesa deixa de existir e, portanto, a verba pode ser aplicada na construção de mais unidades habitacionais.

A DISCIPLINA NA IGREJA

O CORPO DE CRISTO
Origem, Natureza, e Vocação da Igreja no Mundo

O QUE ESTUDAREMOS?
Nesta lição temos como finalidade apresentar a prática da disciplina na igreja. Haja vista o nosso Deus ser santo, convém que os seus servos o sirvam em santidade. Por essa razão, a disciplina é uma prática indispensável para a igreja, pois tem o propósito de corrigir maus comportamentos, afugentar o pecado e preservar o bom testemunho cristão. Vamos juntos aprender a Palavra de Deus.


TEXTO ÁUREO – COMPARANDO TRADUÇÕES
E já esqueceram completamente as palavras animadoras que Deus falou a vocês, que são filhos dele? Ele disse: “Meu filho, não fique irado quando o Senhor castigar você. Não fique desanimado quando Ele tem que lhe mostrar em que você está errado”. “Quando Ele castiga você, isso prova que Ele o ama. Quando Ele o açoita isso prova que você é verdadeiramente filho dele”. Permitam que Deus eduque vocês, pois Ele está fazendo o que qualquer pai amoroso faz com seus filhos. Pois quem já ouviu falar de um filho que nunca foi corrigido? Se Deus não os castiga quando é preciso, como outros pais castigam seus filhos, então isso significa que afinal de contas vocês não são realmente filhos de Deus – e que vocês, na verdade, não pertencem à sua família. (Hb 12.5-8 VIVA). A disciplina é uma necessidade vital para aqueles que precisam ter os músculos da alma tonificados. Concordo com Walter Henrichsen quando ele diz que ninguém gosta da mão pesada da disciplina, mas ela vem para o nosso bem, e não para o nosso mal.
Vejamos vários fatos a respeito da disciplina que Deus aplica aos crentes, e as dificuldades e aflições que Ele permite que soframos:
São um sinal de que somos filhos de Deus (vv. 7,8).
• São uma garantia do amor e cuidado de Deus por nós (v. 6).
• A disciplina do Senhor tem dois propósitos: (a) que não sejamos, por fim, condenados com o mundo (1 Co 11.31,32), e (b) que compartilhemos da santidade de Deus e continuemos a viver uma vida santificada, sem a qual nunca veremos o Senhor (vv. 10,11,14).
• Há dois possíveis resultados da disciplina do Senhor. (a) Podemos suportar as adversidades, às quais Deus nos leva, submeter-nos à sua vontade e continuarmos fiéis a Ele (vv. 5,6). Fazendo assim, continuaremos a viver como filhos espirituais de Deus (vv. 7-9), a compartilhar da sua santidade (v. 10); e produziremos então o fruto da justiça (v. 11). (b) Podemos desprezar a disciplina de nosso Pai (v. 5), rebelar-nos contra Ele por causa do sofrimento e da adversidade, e daí cairmos em apostasia (Hb 3.12-14; 12.25).


VERDADE PRÁTICA
A disciplina cristã é uma doutrina bíblica necessária, pois permite ao crente refletir o caráter de Cristo. Quero demonstrar a necessidade da disciplina com base em um texto bíblico. Há muitos outros aspectos que comprovam a sua importância, mas, por ora, quero destacar somente uma passagem bíblica: Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados. (Hb 12.11 – NVI). No momento em que está sendo aplicada, nenhuma disciplina é agradável nem para o pai e nem para o filho, mas seu efeito é proveitoso. Tenho certeza de que são poucos os filhos que acreditam quando os pais dizem: “Isso dói mais em mim do que em você”. Ainda assim, é verdade. O Pai não tem prazer algum em disciplinar os filhos, mas os benefícios posteriores tornam a correção uma prova de seu amor. Quais são alguns desses benefícios? Em primeiro lugar, temos o “fruto pacífico […] fruto de justiça”. Em vez de continuar a pecar, o filho esforça-se para fazer o que é certo. Também temos paz ao invés de guerra – “fruto pacífico”. A rebelião cessou, e o filho encontra-se em terna comunhão com o Pai.


INTRODUÇÃO
A LIÇÃO DIZ: Nesta lição, estudaremos sobre a prática da disciplina na igreja. Embora seja muito necessária, a disciplina como prática da Igreja Cristã vem sendo esquecida e negligenciada por muitos. Ora, uma igreja que não corrige seus membros perdeu a sua identidade, não passando de um mero grupo social. O resultado disso são igrejas fracas, anêmicas e sem testemunho cristão. A igreja está aberta para todos, mas não pode aceitar tudo! Sabe por quê? Porque a Igreja não é regida pelas opiniões, modas ou costumes do mundo, mas pela Palavra de Deus, que é a sua regra o de fé e prática. A Igreja não pode se conformar com o pecado, a mentira, a injustiça, a idolatria, a imoralidade ou qualquer outra coisa que ofenda a Deus e prejudique o seu povo. Um dos sinais de que a igreja está perdendo o seu discernimento espiritual e se tornando carnal e mundana é justamente a ausência de disciplina. A igreja não pode tornar-se um ambiente sem ordem e moral, onde todos fazem o que querem.

I. A NECESSIDADE DA DISCIPLINA BÍBLICA
1.1 Deus é santo.
A LIÇÃO DIZ: Santidade é um dos atributos de Deus e, por isso, é uma das causas que justificam a necessidade da disciplina na igreja: “Eu sou santo” (Lv 11.45). Quando Deus se faz presente, a nossa pecaminosidade se evidencia: “E, vendo isso Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, por que sou um homem pecador” (Lc 5.8). A santidade de Deus implica que ele é separado do pecado e se dedica a buscar a sua honra. Essa definição contém ao mesmo tempo uma qualidade relacional (separação de) e uma qualidade moral (a separação é do pecado ou do mal, e a dedicação é em prol da própria honra ou glória de Deus). A santidade de Deus fornece o padrão que seu povo deve imitar. Ele ordena: “Sede santos, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo (1Pe 1.16). Os crentes da nova aliança também devem “buscar […] a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14) e saber que a disciplina de Deus é aplicada a nós “para que possamos participar de sua santidade” (Hb 12.10).
1.2 A Igreja é santa.
A LIÇÃO DIZ: Deus é santo e a igreja também deve ser: “Sede santos porque eu sou santo” (1 Pe 1.16). Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo”. (1Pe 1.15-16 – NVI). A santidade de Deus é parte de sua natureza. “Deus é luz, e não há nele treva nenhuma” (1 Jo 1.5). Toda santidade que o ser humano tenha em caráter e em conduta deriva-se de Deus. Ser santificado significa, basicamente, ser “separado para o uso e o prazer exclusivo de Deus”. Envolve a separação do que é impuro e a completa consagração a Deus (2 Co 6.14 – 7.1). Devemos ser santos “em todo o [nosso] procedimento”, de modo que tudo o que fizermos reflita a santidade de Deus. Para um cristão dedicado, a divisão entre “secular” e “sagrado” não existe. Ao viver para a glória de Deus, a vida toda é santa. Até mesmo atividades comuns, como comer e beber, podem ser realizadas para a glória de Deus (1 Co 10.31). Se algo não pode ser feito para a glória de Deus, então não está de acordo com a vontade de Deus.
Destacamos os seguintes pontos:
A santidade é imperativa porque o Deus que nos chama é santo.
A santidade é imperativa porque precisa abranger todas as áreas da nossa vida. Nenhum aspecto da nossa vida está excluído desse imperativo divino.
• A santidade é imperativa porque é uma clara exigência das Escrituras. Pedro citou Levítico 11.44 para sustentar seu argumento: “Sereis santos, porque eu sou santo”. Mueller diz que o apelo à palavra de Deus serve para ratificar com autoridade o que foi dito. Pedro não baseia sua exortação em seus próprios pensamentos, mas na palavra de Deus. Resumindo: Sabe porque a disciplina é necessária? Porque Deus é Santo e seu dever é ser santo.
1.3 Quando a igreja não disciplina.
A LIÇÃO DIZ: A falta de disciplina acaba destruindo o limite entre o sagrado e o profano. Portanto, uma igreja que não disciplina seus membros torna-se mundana. Na Bíblia, há um texto que ilustra muito bem essa verdade: Por toda parte se ouve que há imoralidade entre vocês, imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, ao ponto de um de vocês possuir a mulher de seu pai. E vocês estão orgulhosos! Não deviam, porém, estar cheios de tristeza e expulsar da comunhão aquele que fez isso? (1Co 5.1,2 NVI). Paulo destaca quatro atitudes erradas em relação ao pecado.
Em primeiro lugar, fazer concessão ao pecado (5.1). Duas coisas estão provocando tristeza no apóstolo Paulo. Primeiro é o fato da concessão ao pecado. Um membro da igreja chegou a ponto de cometer um pecado pior do que o pecado cometido no mundo. No entanto, a maior tristeza de Paulo foi a reação e a atitude da igreja em relação ao pecado do jovem incestuoso. Diz Paulo: “E, contudo, andais vós ensoberbecidos e não chegastes a lamentar, para que
fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou?” (5.2).
Em segundo lugar, não lamentar nem chorar pelo pecado (5.2). O grande problema que Paulo viu na igreja foi que os crentes não lamentaram o grave pecado de incesto cometido por esse moço. A palavra grega penthein, “lamentar” aqui é a palavra chorar o choro amargo de um funeral. Paulo está dizendo: Como vocês choram nos funerais, deveriam também chorar pelo pecado. Esse pecado deveria provocar em vocês uma dor tão aguda e tão forte quanto a dor que vocês enfrentam na hora do luto. Porém, em vez de chorar, a igreja estava ensoberbecida. Ela se avaliava e dava nota máxima a si mesma. Julgava-se uma igreja de mente aberta, onde as pessoas tinham plena liberdade e nenhuma espécie de restrição. Nada de imposições, nada de regras, nada de princípios e nada de fiscalizar a vida alheia, diziam eles. Hoje, também, nós só choramos nos funerais, mas não derramamos nenhuma lágrima pelos escândalos e estragos que o pecado faz no meio da igreja.
Em terceiro lugar, ficar ensoberbecido pelo pecado (5.2,6). O que estava acontecendo é que a igreja não apenas tolerava o pecado, mas, também estava vaidosa por causa dele. Paulo reprova a igreja, dizendo: “Não é boa a vossa jactância” (5.6). Que coisa estranha nessa igreja! Ela não estava neutra nem indiferente em relação ao pecado, mas ensoberbecida e jactando-se por causa dele. O mundo é plural. Nesse mundo, a disciplina está cada vez mais difícil. Você chama a atenção de um membro faltoso da igreja e ele diz: “Eu não quero que ninguém me incomode. Sou dono da minha vida e não permito que ninguém interfira nas minhas escolhas. Se vocês não estão satisfeitos com minha conduta aqui, eu vou para outra igreja”. E o pior, na outra igreja, esse membro faltoso, sem nenhum sinal de arrependimento, é recebido com festa!
Em quarto lugar, não aplicar a disciplina (5.2). Paulo mostra à igreja que a concessão ao pecado é uma atitude errada. Em vez de estarem chorando e lamentando pelo pecado, eles estavam ensoberbecidos. Por causa da atitude errada da igreja, ela deixou de aplicar a disciplina ao membro faltoso. “[…] e não chegastes a lamentar, para que fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou?” (5.2). Sempre que a igreja tem uma visão equivocada do pecado, ela falha na aplicação da disciplina.

II. O PROPÓSITO DA DISCIPLINA BÍBLICA
2.1 Manter a honra de Cristo.
A LIÇÃO DIZ: Quando o pecado não é tratado na vida do crente, Cristo é desonrado: “O nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós” (Rm 2.24). Se não corrigido, o comportamento pecaminoso compromete o testemunho cristão. Qual é o perigo do pecado na igreja? Quero destacar duas coisas.
Em primeiro lugar, a contaminação interna. Paulo diz: “Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?” (5.6). Paulo usa aqui a figura do fermento. Um pouco de fermento tem a capacidade de penetrar em toda a massa e fazer toda a massa crescer. O fermento penetra e influencia toda a massa. Paulo está dizendo que o pecado tem o mesmo efeito do fermento.
Em segundo lugar, o enfraquecimento externo (5.7). Paulo diz: “Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado” (5.7). O que Paulo está dizendo? O que ele está dizendo é que aqueles irmãos convertidos em Cristo eram massa sem fermento. Portanto, eles deviam lançar fora o velho fermento que estava ameaçando a igreja. Por que é que a igreja deveria jogar fora o velho fermento? Porque quando a igreja tolera o pecado, ela perde a santidade, a autoridade e o poder. O pecado destrói o testemunho da igreja. Um dos maiores perigos que a igreja contemporânea enfrenta é o da inconsistência no testemunho. Um cristão de vida dupla é pior que um ateu. Um crente vivendo na prática do pecado é
o maior agente do diabo na igreja.
2.2 Frear o comportamento pecaminoso.
A LIÇÃO DIZ: Outro propósito da disciplina cristã está no fato de que ela põe um freio no comportamento pecaminoso.
Há uma passagem nas Escrituras que me chama muita a atenção: Entretanto, certo homem chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade, mas reteve uma parte do dinheiro. E Safira estava ciente disso. Levando o restante, depositou-o aos pés dos apóstolos. Então Pedro disse: — Ananias, por que você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, para que você mentisse ao Espírito Santo, retendo parte do valor do campo? Não é verdade que, conservando a propriedade, seria sua? E, depois de vendida, o dinheiro não estaria em seu poder? Por que você decidiu fazer uma coisa dessas? Você não mentiu para os homens, mas para Deus. Ouvindo estas palavras, Ananias caiu morto. E sobreveio grande temor a todos os que souberam do que tinha acontecido. Levantando-se os moços, cobriram o corpo de Ananias e, levando-o para fora, o sepultaram. Quase três horas depois, entrou a mulher de Ananias, sem saber o que tinha acontecido. Então Pedro, dirigindo-se a ela, perguntou: — Diga-me: foi por este valor que vocês venderam aquela terra? Ela respondeu: — Sim, foi por esse valor. Então Pedro disse: — Por que vocês entraram em acordo para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o seu marido, e eles levarão você também. No mesmo instante, ela caiu aos pés de Pedro e morreu. Entrando os moços, viram que ela estava morta e, levando-a, sepultaram-na ao lado do marido. E sobreveio grande temor a toda a igreja e a todos aqueles que ouviram falar destes acontecimentos. (Ato 5.1-11 – NAA). Dou especial destaque ao versículo 11. Depois do julgamento divino sobre a vida de Ananias e Safira, um temor sem precedentes tomou conta de toda a igreja. Com certeza, o pecado foi contido de forma brusca.
2.3 Não tolerar a prática do pecado.
A LIÇÃO DIZ: Não se pode tolerar a prática do pecado, ou o comportamento pecaminoso, na igreja nem fora dela.
Tolerar significa aceitar algo ou alguém que não nos agrada ou que discorda de nós, sem julgar, punir ou rejeitar. É permitir que existam diferenças e conviver com elas pacificamente. A igreja que tolera o pecado, torna-se inimiga de Deus. Tiago nos alerta: Gente infiel! Vocês não sabem que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo se torna inimigo de Deus. (Tg 4.4). A igreja pode tornar-se amiga do mundo gradativamente: primeiro, sendo amiga do mundo (4.4). Segundo, sendo contaminada pelo mundo (1.27). Terceiro, amando o mundo (1Jo 2.15–17). Quarto, conformando-se com o mundo (Rm 12.2). O resultado é ser condenada com o mundo (1Co11.32).

III. AS FORMAS DE DISCIPLINA BÍBLICA
3.1 A disciplina como modo de correção.
A LIÇÃO DIZ: As Escrituras mostram a necessidade de sermos corrigidos. A correção contribui para o crescimento e formação do caráter cristão: “Porque que filho há a quem o pai não corrija?” (Hb 12.7). É a disciplina que envolve conselho, instrução, repreensão e orientação para que a pessoa mude de vida. É quando o crente é instruído na Palavra pessoalmente, do púlpito, pelos irmãos ou pelos líderes.
3.2 A disciplina como forma de restauração.
A LIÇÃO DIZ: A disciplina cumpre o importante papel de restaurar o ferido, conforme a instrução do apóstolo Paulo à igreja de Corinto para que restaurasse o faltoso à comunhão (2 Co 2.5-8). Nos versículos 5–11 de 2 Coríntios, o apóstolo refere-se de modo mais direto ao incidente que causou o problema. Observe a graça e a consideração cristãs extremas demonstradas por Paulo nessas palavras. Em nenhum momento ele cita a ofensa ou o ofensor. A expressão se alguém causou tristeza pode ser uma referência ao homem que cometeu incesto, mencionado em 1Coríntios 5:1, ou a outra pessoa que havia causado problemas na congregação. Suponhamos que se trate do primeiro caso. Paulo não considerou o pecado uma ofensa pessoal contra ele, pois, em parte, havia causado tristeza […] a todos os irmãos. Os cristãos de Corinto concordaram em disciplinar o ofensor e, ao que parece, o expulsaram da igreja. Em decorrência, ele se arrependeu genuinamente e foi restaurado ao Senhor. Agora, Paulo diz aos coríntios que a punição aplicada bastava e não devia ser prolongada desnecessariamente. Assim como é perigoso para uma congregação ser omissa na aplicação da disciplina quando esta é necessária, também é perigoso não exercitar o perdão quando há arrependimento sincero. Satanás está sempre pronto a interferir em tais situações e usar suas artimanhas. No primeiro caso, ele destrói o testemunho de uma igreja que tolera o pecado e, no segundo, oprime o irmão arrependido com grande tristeza caso a congregação não o restaure. Quando Satanás não consegue destruir pela imoralidade, tenta causar estragos pela tristeza desmedida depois do arrependimento.
3.3 A disciplina como modo de exclusão.
A LIÇÃO DIZ: Esse tipo de disciplina é também conhecido como “cirúrgica”. Esse tipo de disciplina torna-se necessária quando a pessoa endurece seu coração, continua no pecado e não dá frutos de arrependimento. Quando esse tipo de disciplina deve acontecer: “Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me com isto não propriamente aos impuros deste mundo, ou avarentos, ou roubadores, ou idólatras, pois neste caso teríeis que sair do mundo. Mas agora vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem ainda comais. Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? Os de fora, porém, Deus os julgará. EXPULSAI, pois, de entre vós o malfeitor.” (1Co 5.9-13). Observe o detalhe que Paulo inseriu ao falar do pecador: “dizendo-se irmão”. Isto se refere a
quem quer se parecer irmão sem o ser; não fala de uma queda ou tropeço espiritual, mas de uma prática continuada nestes pecados. Excluir não significa proibir a pessoa de colocar o pé na Igreja, mas sim deixar de reconhecê-la como parte do corpo, e isto envolve deixar de se relacionar (Tt 3.10,11), de ter comunhão com a pessoa. Isto fica claro quando o apóstolo diz: “com o tal nem ainda comais”.


CONCLUSÃO
A LIÇÃO DIZ: Nesta lição, vimos o valor da disciplina cristã sob diferentes aspectos. A disciplina se mostra necessária quando sabemos que Deus é santo e exige que seu povo seja santo. Por outro lado, a disciplina também cumpre os propósitos de Deus quando ela conduz o cristão a se conformar com o caráter de Cristo. Uma igreja indisciplinada, portanto, perdeu o bom cheiro de Cristo (2 Co 2.14). O assunto é espinhoso, mas é necessário. Uma igreja que não aplica BIBLICAMENTE a disciplina eclesiástica está seguindo o caminho do legalismo ou o caminho do liberalismo. Ou seja, ela mata os seus membros com uma severidade absurda ou contamina todos eles com o pecado. Por essa razão, devemos utilizar a Bíblia como nossa única forma de regra e prática. Ela deve ser a balizadora das ações da igreja, inclusive da disciplina eclesiástica.

Marília Tavares, sensação do arrocha, abre o coração sobre a fama: ‘A ficha não c

Marília Tavares, cantora considerada a nova sensação do arrocha, em entrevista à Contigo! abriu o coração sobre a fama e revelou: “A ficha não cai”. Ao lado de Manu Bahtidão e João Gomes, a estrela se apresenta nesta quarta-feira (24), no Villa Country em São Paulo. A jovem ganhou notoriedade após vídeos cantando em bares de Boa Vista (RR), circularem na web, ganhando a aprovação do público.

“Nossa, a ficha não cai. Principalmente porque sempre cantei mais sertanejo, arrocha e um dos vídeos que viralizaram além de ‘Manda Um Oi’, foi ‘Mega Sena’ do Pablo. Então é bastante gratificante!”, disparou Marília Tavares sobre o sucesso e rótulo que ganhou do público. Além da parceria com Pablo do Arrocha, a famosa que já fez um feat. com Zé Vaqueiro revelou qual das gravações marcaram a sua carreira: “Ambas, mas a que foi de maior destaque foi a do Pablo. Participei do DVD de 20 anos, onde cantei a música ‘Mega Sena’ com meu estrelo”.

Marília, fenômeno da internet, entregou que sonha em gravar com Henrique & JulianoBruno & MarroneMaiara & MaraisaJorge & MateusLuan Santana e Gusttavo Lima. Os próximos planos também foram antecipados: “Vocês podem esperar muitas novidades! Inclusive um repertório maravilhoso que está sendo preparado para o meu DVD”. Ultrapassando 150 milhões de visualizações, a cantora roraimense está trabalhando em cima do álbum intitulado ‘Essência’ e dando show de carisma e talento por onde passa.

‘Pico da Desilusão’ é o nome do single que Marília Tavares está emplacando. Natural de Caracaraí, município ao Sul de Roraima, a simplicidade da moça cativa quem a acompanha pelo digital ou na vida real. Desde pequena já cantava em eventos culturais, religiosos e hoje conseguiu se firmar no cenário da música. O nome da artista já é considerado uma aposta para o novo ano que já começou.

contigo

Qual o melhor açúcar para diabéticos? Veja 11 tipos de açúcares

O controle da diabetes deve ser feito levando em consideração muitos fatores, dentre eles a regulação do consumo de açúcar. Mas, afinal, existe algum tipo de açúcar que seja considerado saudável? A resposta não é tão simples, pois tudo depende do contexto geral. Isso significa que, se sua alimentação estiver bem equilibrada, há espaço para todos os alimentos. No entanto, é um fato que, ao incluir o açúcar na dieta, existem opções mais interessantes do que o tradicional açúcar refinado. Por isso, com a orientação da nutricionista funcional esportiva e vegetariana, Cintia Pettinati, entenda 11 tipos diferentes desse produto.

11 tipos de açúcar e suas características

Açúcar mascavo

É o açúcar bruto, escuro e úmido, obtido após o cozimento do caldo de cana. Por não passar pelo refinamento, ele mantém o cálcio, o ferro e os sais minerais, tornando-se uma opção mais saudável. No entanto, é importante lembrar que ainda é calórico e tem um sabor semelhante ao caldo de cana.

Açúcar demerara

Conhecido por ser uma das formas mais caras de açúcar da cana-de-açúcar, o demerara é também uma opção popular para doces sofisticados. Tem um sabor mais suave que o mascavo e é submetido a um processo de purificação e refinamento, mas sem aditivos químicos, mantendo os minerais da cana.

Açúcar orgânico

Similar ao mascavo, o açúcar orgânico é cultivado sem agrotóxicos e não passa por refinamento, resultando em grãos mais grossos e uma cor mais escura. Seus benefícios estão relacionados à ausência de aditivos químicos e à preservação dos sais minerais.

Açúcar light

Indicado para quem busca emagrecer, o açúcar light é uma mistura de açúcar refinado com adoçantes artificiais, como o aspartame. Apesar de não ser isento de calorias, adoça mais e é utilizado em menor quantidade, resultando em menor ingestão calórica.

 Açúcar de coco

Uma opção leve, menos calórica e mais nutritiva do que os adoçantes tradicionais. Possui um baixo índice glicêmico, o que impede picos de glicose no sangue, sendo indicado para dietas específicas e para pessoas com diabetes.

Melado de cana

É a forma líquida extraída diretamente da cana-de-açúcar, rica em nutrientes como ferro, cálcio e selênio. Indicado para fortalecer o sistema imunológico e fornecer energia.

Maltodextrina

Resulta da hidrólise do amido ou da fécula e é rapidamente metabolizada no organismo, causando um aumento rápido nos níveis de insulina no sangue.

Frutose

Adoçante natural extraído de frutas ou do milho, é mais doce que o açúcar comum, mas possui menos valor nutricional e é frequentemente usado na indústria de alimentos.</p >

Açúcar cristal

Possui cristais grandes e transparentes, semelhantes ao açúcar refinado, e é utilizado para adoçar líquidos e preparar receitas.

Açúcar de confeiteiro

Com grãos superfinos, é ideal para fazer coberturas e glacês mais homogêneos, além de ser usado na decoração de bolos e biscoitos.

Açúcar refinado

O tradicional açúcar encontrado em supermercados, passa por um processo de refinamento que inclui a adição de produtos químicos, resultando na perda de vitaminas e minerais.

Fonte: Saúde em Dia

Bárbara Evans perde 14 quilos e mostra antes e depois

A influenciadora digital Bárbara Evans está mais magra! Depois de dar à luz gêmeos, ela já mudou o seu corpo e revelou o quanto já emagreceu. Nesta quinta-feira, 15, a musa contou que perdeu 14 quilos nos últimos meses e está radiante com o resultado. Tanto que ela mostrou fotos de antes e depois do seu corpo e deixou evidente a mudança em sua barriga e cintura. Na legenda, ela contou que ainda quer reduzir mais suas medidas. “Amores, menos 14 quilos! Sim! E estou muito feliz com esse resultado. Estou super focada. Como vocês sabem, iniciei o programa de emagrecimento Detox turbo novamente depois que tive os gêmeos, quando eliminei 8 kg nos primeiros 15 dias. Fiz a desinflamação do organismo, e logo depois iniciei o Desafio Fase 2! A cada dia que passa estou mais feliz por estar conseguindo chegar no meu objetivo e o mais importante, com saúde. Ainda falta um pouquinho para chegar no peso que eu desejo, mas tenho a minha consultora fitness e sua equipe sempre ao meu lado me ajudando!! Não tenho dúvida que vou conseguir, agora falta pouco!! A mamãe aqui merece parabéns né?!”, disse ela na legenda.  Há poucos dias, Bárbara Evans usou as redes sociais para compartilhar um novo ensaio fotográfico de seus herdeiros. Mãe de três crianças, a influenciadora digital reuniu a primogênita Ayla, de um aninho, ao lado dos gêmeos Álvaro e Antônio, que estão com dois meses de vida, e a diferença entre os meninos acabou roubando a cena.  Bárbara não economizou nas publicações e recheou o feed de seu perfil no Instagram com fotos dos pequenos reunidos. Primeiro, a modelo abriu um álbum com os cliques em que Ayla aparece dando um beijinho em cada um dos irmãos: “Tudo que eu sempre sonhei. Nunca imaginei ser tão feliz. Meus filhos, minha vida. Gratidão”, ela se derreteu na legenda.

caras

Símbolo da alta-costura, estilista destaca feminilidade com referência cinquentista

A sobriedade destacada por toda a técnica irrepreensível se tornou um símbolo da alta-costura praticada pela renomada estilista italiana Maria Grazia Chiuri (59). Simples, mas jamais com o predicado de simplória, a coleção foca em uma estética mais voltada para a feminilidade com uma referência cinquentista – marcada pelos vestidos de comprimento médio, cortes mais acinturados e com saias de uma modelagem levemente aberta, quase conservadora, mas pontuada por nuances de força encontrada especialmente na paleta mais adulta, nos toques discretos de utilitarismo e na clássica alfaiataria contemporânea que traz o toque de sofisticação atualizada e muito potente ao universo delicado e discreto montado pela estilista.

Jaquetas acinturadas e estruturadas que fazem alusão à famosa Bar Jacket, um dos primeiros modelos desenhados pelo consagrado estilista francês Christian Dior (1905-1957) e que revolucionou a estética pós-Segunda Guerra, vêm com a região do busto marcada, o que denota a intenção de adicionar sensualidade à coleção, percebida também pelas blusas e vestidos transparentes e pelos decotes acentuados. A densidade necessária para o romantismo predominante da coleção é encontrada nos materiais com aspectos mais robustos, nos tons profundos, na rica texturização delicadamente ondular de plissados e nervuras e nos bordados tão precisos como arrebatadores aplicados em vestidos imponentes, saias de shape aberto e blusas de manga longa.

O feminismo é algo que ninguém deve esquecer, é um momento inclusivo, no qual a vontade é de se tornar verdadeiramente participativa. E nisso nós, mulheres, juntas, devemos desenvolver nosso próprio ponto de vista seguindo os modelos que aceitamos e que são os mais corretos”, já disse a estilista, sobre a força feminina.

caras

6 coisas que podem melhorar seu humor — e que não envolvem dieta ou exercício

Embora praticar exercícios e manter uma dieta saudável sejam estratégias reconhecidas que contribuem para melhorar o estado de ânimo, elas não são as únicas ferramentas disponíveis para alcançar esse resultado.O jornalista da BBC e médico, Michael Mosley, compartilha em seu programa de rádio da BBC Radio 4, chamado “Apenas Uma Coisa”, muitas outras ações que podemos realizar para aprender a viver mais felizes. Aqui estão algumas de suas recomendações para melhorar o humor.

1. Escrever

Mulher segurando lápis

Legenda da foto,

Registrar seus pensamentos no papel é uma prática benéfica

Se você está com muitas preocupações, ficará surpreso ao descobrir que colocá-las no papel pode ser uma maneira eficaz de superá-las.Ao dedicar apenas 15 minutos à prática conhecida como “escrita expressiva”, é possível reduzir pensamentos negativos e o estresse, aprimorar o humor, o sono, o sistema imunológico e até mesmo a memória. Os benefícios podem começar a ser percebidos em apenas uma semana.O professor James Pennebaker, renomado psicólogo social que conduziu diversos estudos sobre o tema, destaca: “Uma razão pela qual essa abordagem pode ser tão impactante é que, ao escrever, você externaliza essas experiências perturbadoras da mente, possibilitando uma conexão mais efetiva com outras pessoas”.

2. Afaste-se do seu telefone

Jovem com um celular na cama
Legenda da foto,

Em vez de levar o telefone para a cama, experimente deixá-lo em outro cômodo

Provavelmente você sabe que o uso excessivo do telefone celular pode ser prejudicial para sua saúde mental, sono e produtividade. Claro, é difícil deixar de depender desse dispositivo, pois frequentemente precisamos de muitas das funções que ele oferece. A boa notícia é que não é necessário parar de usá-lo abruptamente para fazer uma mudança. Um estudo realizado na Alemanha mostrou que as pessoas que reduziram o uso do telefone em apenas uma hora por dia se sentiram menos ansiosas e mais satisfeitas com a vida. Se você pretende limitar a dependência do seu telefone, pesquisas sugerem que mantê-lo em um cômodo separado por um tempo pode trazer os melhores resultados.

3. Compre plantas para sua casa

Jovem com plantas
Legenda da foto,As plantas proporcionam uma sensação de bem-estar

As plantas de interior não apenas contribuem para deixar um ambiente mais bonito, especialmente aqueles sem vistas, mas também melhoram a qualidade do ar e podem aprimorar o bem-estar, a memória e a produtividade.Evidências anedóticas sugerem que as plantas podem auxiliar as pessoas a respirarem mais profundamente, proporcionando assim uma sensação de conforto e tranquilidade.

4 . Cantar

casal cantando

Pode ser que você aprecie cantar no chuveiro ou talvez com o rádio no carro, mas sabia que ao fazer isso também está liberando uma variedade de substâncias químicas que contribuem para os sentimentos de felicidade? Exemplos incluem endorfinadopamina, serotonina e oxitocina; além de endocanabinoides, compostos químicos que têm ações semelhantes às do componente ativo da planta de cannabis. Consequentemente, cantar pode ter uma ampla gama de efeitos psicológicos significativos, ajudando a desenvolver a autoconfiança, reduzir a solidão e impactar positivamente nos níveis de ansiedade.

5. Aprenda uma nova habilidade

Pai e filha tricotando, com um cachorrinho no colo.
Legenda da foto,Aprender algo novo nos distrai das nossas preocupações

Pode parecer contraintuitivo adicionar mais itens à sua lista de tarefas pendentes quando você está estressado. No entanto, há evidências de que aprender algo novo pode ser uma das formas mais eficazes de reduzir o estresse e acalmar o corpo. Quando você se concentra na tarefa em mãos, pode entrar no que é conhecido como estado de fluxo, ou a “zona”, onde está completamente imerso no momento. Isso acalma a parte frontal do seu cérebro, o que geralmente ajuda a analisar e questionar menos o seu próprio comportamento, diminuindo assim o julgamento das suas ações.

6. Conte as coisas pelas quais você é grato

Mulher sorrindo

Isso pode até ter parecer antiquado, mas há uma base científica sólida por trás da afirmação de que cultivar o hábito de expressar gratidão não só fará você se sentir melhor, mas também pode reconfigurar seu cérebro. Em um estudo em que as pessoas foram instruídas a cultivar sentimentos de gratidão, os pesquisadores observaram uma maior ativação na região da córtex pré-frontal, associada à tomada de decisões e recompensa social. Para experimentar os benefícios e começar a transformar seu padrão de pensamento de negativo para positivo, tente simplesmente pensar em três coisas pelas quais você é grato em um dia, seja uma gratidão geral ou interações positivas com os outros.

Veja 3 benefícios incríveis de substância presente em fruta acessível

E não é que a frase “an apple a day keeps the doctor away” (“uma maçã por dia mantém o médico longe”, em tradução livre) faz todo sentido? A fruta, de fácil acesso e muito saborosa, é uma excelente fonte de nutrientes e vitaminas. Aliada a uma boa saúde, ela ainda tem ação antioxidante e fornece compostos fenólicos que combatem inflamações.O que nem todos conhecem é que a maçã é rica em pectina, uma fonte de fibra solúvel muito usada em suplementos dietéticos. Essa substância, na verdade, é um heteropolissacarídeo, ou seja, um polissacarídeo constituído por mais de um tipo de açúcar. Seu principal componente é o ácido galacturônico, um ácido de açúcar derivado da galactose.Um estudo de 2019 mostrou que a pectina teve um impacto positivo no microbioma (bactérias intestinais), sendo capaz de aumentá-las ou diminuí-las. Os pesquisadores também estudaram o efeito da macromolécula em relação aos níveis de açúcar no sangue e de colesterol, além da saúde digestiva.De acordo com a publicação Verywell Health, a dose diária sugerida de pectina é de até 15 gramas, quantidade típica usada em estudos clínicos. No geral, a ingestão desse ingrediente é segura, embora seja possível ocorrer efeitos colaterais gastrointestinais.
PexelsMaçãs
A maçã é rica em pectina

O uso de pectina também está associado, segundo levantamentos, a atividades antioxidante e antitumoral (câncer); ao tratamento de úlcera duodenal e à doença inflamatória intestinal, incluindo doença de Crohn e colite ulcerativa. Mas as análises ainda são inconclusivas.

Benéfica para a saúde digestiva

Um estudo examinou o impacto do pó de pectina de maçã na síndrome do intestino irritável com predominância de diarreia, com queda maior nos sintomas. Outra análise que envolveu a administração de um produto combinado contendo pectina de maçã e extrato de camomila para crianças com diarreia descobriu que as crianças tratadas tiveram melhora dos sintomas do que as do grupo placebo.

Benéfica para o controle de colesterol

Cientistas analisaram os efeitos do heteropolissacarídeo em pessoas com níveis de colesterol levemente elevados e observaram a redução do LDL (lipoproteína de baixa densidade), considerado “ruim”, em 4,94 a 9,26 milimoles por litro (mmol/L) — e o colesterol total em 3,73 a 6,54 mmol/L. “A pectina se liga ao colesterol no trato digestivo e o transporta para fora do corpo antes que possa ser absorvido pela corrente sanguínea“, diz a Verywell Health.

Maçãs - Metrópoles
Estudos ligaram a ingestão de pectina à redução de colesterol LDL

Apesar dos resultados, ainda é cedo para concluir todos esses efeitos da pectina da maçã.

Benéfica para os níveis de açúcar no sangue

Em um pequeno estudo, a florizina, um produto enriquecido com pectina de maçã, reduziu o nível de açúcar no sangue após uma refeição em indivíduos saudáveis. Foram usados 7 gramas de pectina de maçã em diabéticos dependentes de insulina. A necessidade de insulina caiu em 35% após as refeições.Conforme relatado acima, embora seja segura e com poucos efeitos colaterais, a substância pode causar efeitos colaterais leves como diarreia, gases ou cólicas estomacais. Já indivíduos alérgicos a maçã ou pectina devem tomar cuidado.“A pectina também pode interferir na forma como você absorve certos medicamentos e suplementos. Informe o seu médico se você estiver fazendo uso”, adverte a publicação.

Maçãs
A substância pode causar efeitos colaterais leves

Onde encontrar

A ingestão do ingrediente é possível por meio de suplementos de cápsula ou pó. Mas há, ainda, um modo de preparo caseiro bastante prático:

  • Ferva as maçãs com casca em água com suco de limão por cerca de 45 minutos;
  • Coe a pectina;
  • Coloque a pectina na geladeira durante a noite;
  • Ferva novamente por cerca de 20 a 30 minutos no dia seguinte;
  • Leve à geladeira e use em três ou quatro dias, ou coloque no freezer, onde durará vários meses.

Vale lembrar que existem alimentos com grandes quantidades de pectina, além da maçã, como beterraba, cenoura, cascas de frutas cítricas, pera, batata convencional e batata-doce e frutas de caroço como damascos, cerejas e pêssegos.

metropoles

São Paulo tem 60 mil casos de dengue confirmados em 2024

São Paulo – O estado de São Paulo soma 60.337 casos confirmados de dengue em 2024, de acordo com o painel de monitoramento da doença da Secretaria da Saúde. Na ‘fila’ de confirmação, há pelo menos 45.393 casos em investigação. Até o momento, 15 pessoas morreram após infecção pelo vírus da dengue; outros 29 óbitos estão sendo analisados.

No interior, o Vale do Paraíba concentra o maior número de mortes até o momento, com dois casos em Taubaté, dois em Pindamonhangaba e um em Tremembé. As demais vítimas se espalham por outras regiões, com duas mortes nas cidades de Bebedouro, Marília e Pederneiras, e uma nos municípios de Bauru e Registro. A idade das vítimas é outro fator que chama a atenção: 13 dos 15 mortos tinham mais de 70 anos.

Sintomas da dengue

Os sintomas da dengue podem variar de leves a graves e geralmente aparecem de 4 a 10 dias após a picada do mosquito infectado. As manifestações clínicas incluem:

  • Febre alta: a temperatura corporal pode atingir valores significativamente elevados, geralmente acompanhada de calafrios e sudorese intensa;
  • Dor de cabeça intensa: a dor é geralmente localizada na região frontal, podendo se estender para os olhos;
  • Dores musculares e nas articulações: sensação de desconforto e dor, muitas vezes referida como “quebra ossos”;
  • Náuseas e vômitos: podem ocorrer, contribuindo para a desidratação;
  • Manchas vermelhas na pele: conhecidas como petéquias, essas manchas podem aparecer em diferentes partes do corpo;
  • Fadiga: uma sensação geral de fraqueza e cansaço persistente.

Tratamento

O tratamento da dengue visa aliviar os sintomas e garantir a recuperação do paciente. Algumas medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde incluem:

  • Hidratação adequada: a ingestão de líquidos é fundamental para prevenir a desidratação, especialmente durante os períodos de febre e vômitos;
  • Uso de analgésicos e antitérmicos: medicamentos como paracetamol podem ser utilizados para reduzir a febre e aliviar as dores;
  • Repouso: descanso é essencial para permitir que o corpo combata o vírus de maneira mais eficaz;
    Acompanhamento médico: em casos mais graves, é crucial procurar assistência médica para monitoramento e tratamento adequado;
  • Evitar automedicação: o uso indiscriminado de alguns medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e aspirina, pode agravar o quadro clínico, sendo contraindicado na dengue.

Prevenção da dengue

Além do tratamento, a prevenção da dengue é crucial. Medidas como eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, uso de repelentes, telas em janelas e portas, além da conscientização da população sobre a importância dessas práticas, são enfatizadas pelo Ministério da Saúde.

metropoles

ESFRIAMENTO ESPIRITUAL – PERIGO!

O esfriamento espiritual pode ser traduzido como a perda da paixão pelo Evangelho, perda do primeiro amor e distanciamento de nosso Senhor Jesus Cristo. Infelizmente, qualquer cristão está sujeito a esfriarse na fé, mas, assim como um organismo vivo deve manter a sua temperatura normal para viver, o crente deve estar sempre fervoroso na fé em Cristo. A frieza espiritualé, sem dúvida, uma das piores coisas na vida do crente, pois perde-se totalmente a vontade de orar, ler a Bíblia, ir à igreja, cantar louvores, glorificar a Jesus Cristo… sem contar que outras coisas vão entrando sorrateiramente e ocupando o lugar de Deus, com a famosa expressão de que “não tem nada a ver”. Na verdade, ninguém se esfria na fé da noite para o dia; é um processo longo que aponta para um desleixo diário, que pode ser visto no abandono gradativo da Bíblia e da oração. Crentes frios na fé encaram o pecado como algo natural e não experimentam mais o arrependimento, pois não têm mais a disposição de buscar a Deus com lágrimas e nem mesmo choram pelos seus pecados; Na verdade, estão bem mais envolvidos com este mundo e sua glória do que com a presença e a glória de Jesus Cristo, o Senhor. Há a frieza velada e a frieza revelada, isso é sério e significa que há crentes que estão frios por dentro, mas mantêm o véu por fora, velando, escondendo e disfarçando seu triste estado interior.Em muitos casos, estes são os religiosos que zelam meramente pela religiosidade, mas não têm vida com Deus. Há, por outro lado, aqueles que se tornaram declaradamente frios e incrédulos, uma vez que passaram a relativizar publicamente a Palavra de Deus, o Evangelho e a igreja.

A boa notícia é que há remédio para curar e evitar que não caiamos na frieza espiritual e, para isso, não há outra receita a não ser recomeçar, convergir para a direção oposta em que se está indo, voltar ao primeiro amor, levantar-se do pó e da cinza e olhar para Jesus Cristo, o único que pode revitalizar e reanimar o servo abatido. Em outras palavras, é necessário um esforço, uma determinação nossa, acompanhada com a ação do Espírito Santo para nos levantarmos e partirmos em direção a Jesus Cristo, à sua Palavra e à oração.

A Palavra de Deus nos ordena: “Nunca lhes falte o zelo; sede fervorosos de espírito, servido ao Senhor” (Rm 12.11).

Levando em conta a nossa responsabilidade na caminhada da fé, segue aqui algumas dicas para fugirmos do estado de frieza espiritual: mesmo sem querer ler a Bíblia, você deverá ler; mesmo sem querer orar, você deverá se esforçar; mesmo sem querer ir à igreja, você deverá decidir e ir; mesmo sem perceber a fé em seu coração, você deverá buscar a Deus. É uma questão de decisão e esforço e, com a ajuda do Espírito Santo, você irá melhorando, se aquecendo e voltará a ficar radiante, avivado, motivado e cheio do Espírito Santo. A ação soberana de Deus em nossa vida não anula a nossa responsabilidade de buscá-Lo e prosseguir em conhecê-Lo. Resumindo, se você decidir andar com o Senhor Jesus Cristo e decidir absolutamente conhecê-Lo cada vez mais todos os dias, você jamais se esfriará na fé, pois Jesus Cristo é a única fonte inesgotável de sabedoria e de conhecimento, a Água da vida, o Pão vivo que desceu do céu, a nossa Luz, o Caminho, a Verdade e a Vida… Achegue-se a Deus e Ele se achegará a você. Entregue, todos os dias, os seus caminhos e a sua vida ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará!

Pr. Eloízio Coelho Alves